Social Icons

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

"Final Fantasy VI - A Odisseia" - Ou Toma essa Kefka!

Quem acompanha o blog já percebeu que curto bastante JRPG's, principalmente a série Final Fantasy, mas  como grande maioria dos gamers ocidentais, comecei mesmo a jogar os games da franquia aapenas a partir do 7º episódio no PSX, pois infelizmente não cheguei a ter um Super Nintendo  na época áurea dos 16 bits. Porém mesmo que tivesse, muito dificilmente poria as mãos em qualquer RPG do console já que eram bastante difíceis de encontrar nas locadoras da minha cidade onde mascotes fofinhos e imitadores de um certo encanador bigodudo eram soberanos.

No entanto, mesmo numa época em que internet era termo de ficção científica, graças a revistas como a Supergame Power e  Gamers (principalmente) cheguei a ler vários textos e detonados (sim eu leio cada trecho do detonado mesmo sem ter o game) interessantíssimos sobre jogos como Chrono Trigger, Secret of Mana , Zelda, Final Fantasy VI e outros RPG's que me deram uma idéia dos fantasticos mundos dos jogos do gênero.   
A fantástica cena de abertura é apenas um dos momentos marcantes de FFVI

Não é atoa que jogos de RPG tinham prioridade  em minha coleção quando tive a alegria de ter um PSX e um PC (com o milagre dos emuladores). Joguei tudo que pude e terminei dentre outros, Chrono Trigger, Mario RPG, Final Fantasy, VII, VIII, IX(este só terminei anos depois, mas é outra história)...mas alguns jogos me acabaram ficando para trás depois da empolgação de querer ver tudo e nunca terminei. 
Um deles foi Final Fantasy VI, o ultimo e melhor jogo da franquia da, até então apenas "Square", para o console da Nintendo, que sofreu certa resistência da minha parte por ter chegado em minhas mãos apenas depois de jogar os episódios em 32 bits.(o que curiosamente não aconteceu com Chrono Trigger, que zerei umas 6 vezes e adoro). Na empolgação da era "3D", os gráficos do Snes estavam longe de me causar encantamento. O sistema de jogo bem mais complexo que Chrono Trigger e Mario RPG por exemplo, as batalhas aleatórias  e a história que se fragmentava entre 14 personagens acabou me afastando do game na metade - Por 3 vezes!
Rapaz, demorou pra que eu conseguisse ter paciência até chegar a Kefka aqui...e tava só na metade do game...

Sempre que terminava um RPG novo tentava voltar a jogar FFVI, mas sempre parava na parte em que antecedia a destruição do mundo no game (mais ou menos metade do jogo) porque empacava no maldito labirinto da ilha voadora de Kefka. Nem a curiosidade de saber como é que ele destruia o mundo ou como o ninja Shadow fugia me comoviam a continuar lutando a cada dois passos que o personagem dava (cara eu ODEIO batalhas aleatórias). A ultima vez foi no ano passado quando revisitei FFIX. Terminei o game e me empolguei a tentar finalizar o 6º episódio...mas o ânimo novamente só durou até a maldita parte que citei. Com muita força de vontade avancei e consegui avançar no game chegando quase ao final...quando parei de novo. Mas agora era questão de honra - Mesmo que durasse mais alguns anos. Assim, vez ou outra jogava um pouquinho do game e devagarzinho não é que fiz todas as sidequests, peguei todos os personagens e até subi a maldita torre dos fanáticos (sem dúvida a sidequest mais difícil e demorada do game) - Agora só faltava disposição pra levar horas evoluindo todos os personagens pra poder encara a dungeon final e derrotar o maldito vilão Kefka.
  MORRE DIABO!!!...(desculpe, foi a emoção^^)

Ao contrário dos outros game da série, FFVI tem uma quantidade enorme de personagens, 14 ao invés dos 7/8 habituais (no entanto todos são bem carismáticos) e é  preciso evoluir bem pelo menos12 deles pra poder chegar ao final com certa tranquilidade, já que na ultima etapa do jogo se controla alternadamente 3 equipes com 4 personagens e os inimigos são bem fortes. Dai eu que costumo usar o mesmo grupo sempre, acabei com mais da metade do elenco bem fraco, obrigando-me a entediante tarefa de batalhar incontáveis vezes até que todos estivessem em nível equivalente (mais um mérito para Chrono Trigger que faz seu grupo evoluir junto com a história). Aliás, isso acontece comigo em todos os jogos da série Final Fantasy, O problema do VI é que tem bem mais personagens...
Mas finalmente, depois que terminei FF X, tomei coragem e resolvi aacertar as contas com o insano vilão de FFVI e subi a torre até que depois de muitas tentativas, (que resultaram em gritos batidas na mesa em instantes de instabilidade emocional causada por momentos de frustração contínua), consegui terminar este  jogo e tive de dar o braço a torcer para um dos games mais épicos de todos os tempos.
De fato, Sephirot (FFVII) não passa de um bebê-chorão perto do maluco do Kefka...
O final é literalmente o maior do Super Nintendo com quase 20 minutos de cenas e diálogos emocionantes, com apresentação de cada membro do elenco do jogo e desfecho que deixa no chinelo qualquer outro título do console.(admito, até mesmo Chrono Trigger).Cara, que alegria terminar este jogo. Pensei que nunca veria Kefka se dissolvendo diante da triunfante equipe de herois liderada por Terra e sua turma. Não ouso entrar em mais detalhes sobre este game até porque existem dezenas de sites de fãs e artigos em revistas e pela internet com muita informação. Agradeço aliás as revistas digitais Game Senior  nº4 e Nintendo Blast nº 2 (ambas gratuitas), cujas extensas matérias sobre o jogo me renovaram o ânimo para chegar até o final. Recomendo fortemente a leitura para você que não conheceu ainda esta pérola dos JRPG's, (que hoje se encontram meio em baixa) pois trata-se de um título obrigatório na lista não somente de fãs de Final Fantasy, mas de videogame em geral. Vale a pena!

Lembrando que Final Fantasy VI foi relançado também para:
  • PSX (junto com FFV) com os mesmos gráficos mas aguns extras legais como cenas em CG, tão em moda na época.
  • Game Boy Advance: Com gráficos melhorados e algumas dungeons e sidequests extras.
Final Fantasy VI Intro em CG(PSX):

Final Fantasy Last boss e ending:

Pra saber mais:

5 comentários:

  1. É de fato aconteceu o mesmo comigo, depois de zerar os FF VII e VIII, comprei o cd de PSX que vinham os FF IV, V e VI e por mais empolgado que eu estava com a serie fui derrotado pelos grafico ultrapassados, ainda cheguei a comprar somente o VI separado pro PSX todo em japones só pra ter guardado. Mas quem sabe um dia ainda me anime e termino ele tambem hehe. Parabens pelo post JC ficou muito bom.

    ResponderExcluir
  2. Puxa, bom saber que não sou o único a largar FFVI pela metade (por várias vezesXD).

    Falando sério, FFVI foi um dos jogos que tive mais resistência pra terminar ever...comecei a jogar ele há uns 8 anos e sempre me cansava em algum ponto. Realmente os gráficos 16bit, a mecânica old school (sem dicas de onde ir ou atalhos)e a dificuldade que é bem mais elevada que os jogos mais novos desmotiva quem já começou no 3D como nós. Mas vale a pena jogar. O roteiro do VI é um dos melhores cara. Tem muitos personagens e todos são carismáticos e tem seu momento na trama, além do afetado Kefca claro.^^
    Agora, os mais antigos como o IV e o V tabém são bem legais, mas não consegui motivação pra terminar não...Vou esperar pra jogar no PS um dia^^
    Rapaz, tu tens o FFVI do PSX ai é?-EU QUEROOO!hehe.Um dia terei na minha coleção.Infelizmente só joguei em emulador (a do Snes)

    Toma coragem homi e joga que é bom pacas!!hehe.
    Agora em japonês eu não encaro não...a vantagem do PSX são as CG's que dão um UP no game, ams a melhor versão do VI mesmo é a do GBA que tem gráficos melhores e sidequests extras. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Sim tenho mas é piratão da época né, se hoje em dia é meio dificil manter uma coleção original imagina anos atras o cara com 16 ou 17 anos economizando o dinheiro do churros da escola pra gastar em cd no camelo haha.
    Mas voltando ao assunto, as cgs sao incriveis mesmo quando comecei a jogar e vi a abertura ja imagineis incontaveis horas de diversão hehe eu achei que era um remake total do jogo #desinformadoficaadica, mas mesmo assim tentei e cheguei a jogar algumas horas mas no fim acabei largando ateh um chapa meu queimar meu amado PSX dual fucking shock e ai nunca mais peguei mesmo.

    ResponderExcluir
  4. O pirataço era o básico naquela época. Até porque achar jogos originais de PSX era uma verdadeira caça ao tesouro...e era tãaaaao caroU_U. Era meu sonho na ter jogos originais do console. Pra não dizer que não consegui. Tive a sorte de "comprar" uma cópia do Resident Evil 1 na versão caixa (na verdade fiz um rolo com um jogo pirata do James bond mais R$40,00)com um chapa de São Paulo que me achou um tremendo ótário na época. (vendi o game ano passado por R$ 87,00 no Mercado LivreXD mas ainda tenho saudades, custa uma fortuna agora...Fora isso a única coisa original que me restou do PSX foram os 5 CD's demo que tenho até hoje.

    Mas voltando ao assunto, confesso que também fiquei meio decepcionado (tanto com FF quanto com Chrono Trigger) quando vi que os jogos só traziam as CG's fantásticas...e mais nada além da versão Snes. Ficou até meio estranho porque a diferença era MUITO grande da CD pras SD's dos games. Mas ainda terei a versão black label americana do FF Antology que vem com FFV, VI e um CD com as OST's

    ResponderExcluir
  5. Wonderful post, really great tips and advice. I was interested by your comment,
    Cheap Flights to Koh Samui
    Flights to Koh Samui
    koh samui Flights

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...